terça-feira, 23 de agosto de 2016

"DA ARTE E DO ARTISTA", por Isabel Rosete



«AS VOZES DA FILOSOFIA E DA POESIA, DAS ARTES, AS MINHAS E AS DE ALGUNS OUTROS (poucos, infelizmente), NUNCA SE CALAM! SEMPRE DIZEM A VERDADE/REALIDADE QUE, À SUPOSTA NORMALIDADE E AO DITO POLITICAMENTE CORRECTO, NÃO CONVÉM.
VIVA A "ANORMALIDADE"! VIVA A SAUDÁVEL "LOUCURA" DA RAZÃO DESPERTA!»
Isabel Rosete

sábado, 23 de abril de 2016

Isabel Rosete e Fluxos da Memória

1. Drª Danuia Pereira Leite
apresentando-me como pessoa, como profissional da Filosofia e da
Poesia, entre- Culturas, face ao conteúdo manifesto deste meu/quiçá
vosso livro "FLUXOS DA MEMÓRIA", no seu segundo lançamento, no Instituto
de Ciências do Som e Bioterapias, da qual é Presidente e pela qual
recebi este gentil convite;
2. Rosete Cansado
apresentando-me como pessoa, como amiga, mana e como profissional
destas áreas, em coligação com as nossas almas (gemias) pensantes e de emoções autênticas;
3. Carolina Martins lendo um dos poemas desta obra, manifestando o amor que nos nutre e a Filosofia que nos aproxima;

4. Revelando-me contra a falta de honestidade intelectual, contra as
fraudes/ausência de transparência da TV ("5 Para a Meia Noite", Marta
Crawford, RTP1), contra a hipocrisia, as máscaras, em nome da Verdade e
da Justiça, as quais devem sempre imperar, seja qual for o preço a
pagar, em nome da Identidade genuína. Declamando, igualmente, alguns dos
meu poemas sobre estas temáticas;
5. Uma "declaração de amor" do Professor Doutor José Zaluar
face à minha poesia/filosofia, que também diz NÃO, comparando-me com
Natalia Correia (que grande responsabilidade que carrego com muita
satisfação), uma das minhas Musas.
Bem-hajam pelas vossas intervenções, meus queridos amigos/leitores, por tanto carinho, por tanto me fazerem sentir lisonjeados!
Isabel Rosete

Isabel Rosete



Eu, Isabel Rosete, apresentando o meu livro "FLUXOS DA MEMÓRIA" no Instituto de Ciência do Som e Bioterapias - Lisboa, 16/04/2016 - a convite da Drª Danuia Pereira Leite​, a quem muito agradeço, assim como a todos os presentes neste evento e a todos os visualizadores deste vídeo realizado pelo Dr. Jorge Rosa​.
Saudações filosófico-poéticas,
Isabel Rosete

quarta-feira, 30 de março de 2016

Portugal, de Isabel Alves de Sousa

 Este livro é uma ode a Portugal.
Nele a autora afirma a sua sempre renovada esperança na capacidade do seu país se transfigurar e renascer das cinzas.
São dadas sugestões que pretendem servir de mote que possa contribuir para  um despertar dessa mesma esperança.
Apela à união e à redescoberta de valores intemporais que têm servido de   bússola a Portugal e aos portugueses e impulsionado a sua universalidade no contexto civilizacional mundial.

Isabel Alves de Sousa nasceu em Lisboa em 1966, filha de pais durienses que haviam fixado residência nesta cidade.
Em Lisboa passou a sua infância e a sua adolescência, mantendo sempre uma forte ligação, física e emocional, com as suas origens durienses. E contacto regular também.
Em Lisboa efectuou todos os seus estudos liceais no Lycée Français Charles Lepierre, donde saiu param a Faculdade de Direito de Lisboa. Aí permaneceu até ao 4º ano da licenciatura, altura em que o apelo das artes plástica com que desde cedo conviveu (frequentou as Oficinas de Verão do Museu Nacional de Arte Antiga com regularidade por vários anos em criança, p. ex.), falou mais alto.
Começou a pintar regularmente (década de noventa) e mudou-se para Cascais. Frequentou o Ar. Co. (desenho), em Lisboa e o atelier do pintor Paiva Raposo em Cascais e, desde então que se dedica à pintura.
Paralelamente, prosseguia com outra actividade que desde sempre se recorda de a acompanhar: a escrita, transversal na sua vida. Essa escrita permaneceu na “gaveta” longos anos. Até que surgiu o presente livro, “Portugal”, primeiro que registou, em 2013.
De interesses variados, destaca a história, a literatura e a filosofia. Nutre profundo amor e orgulho pelo seu país natal e deposita nas suas gentes grande confiança. Foi precisamente o amor a Portugal que a levou até às páginas do presente livro, único até hoje que sente necessidade e vontade de editar.
Actualmente vive em Lisboa e em Cascais onde se dedica à pintura e à escrita.